Estiagem deixa poço artesiano com nível 70% abaixo do normal em Passos Maia

Imagem divulgação

                Imagem divulgação

A falta de chuva vem agravando a situação dos poços artesianos responsáveis pela distribuição de água potável no município de Passos Maia. Nesta segunda-feira, dia 11, a Casan constatou que o principal poço de abastecimento da cidade está com o nível 70% abaixo do normal. A estatal já informou a administração municipal e alerta a população para a necessidade de economia.

O município possui 504 ligações na rede de distribuição da Casan. São dois poços artesianos utilizados para o abastecimento, um aberto em 2000, com vasão de 12 mil litros por hora, e outro perfurado ainda em 1979, cuja vasão é de três mil litros por hora.

O poço perfurado em 2000, responsável pela maior vasão, é o que está atualmente operando com apenas 30% da capacidade, com pouco mais de 3,5 mil litros de água distribuídos por hora. O fluxo do poço mais antigo ainda deverá ser verificado pela Casan nesta terça-feira, dia 12, mas a estimativa é que o percentual de queda do nível seja semelhante.

Segundo o responsável pela companhia em Passos Maia, João Martins, ainda não há a necessidade de racionamento, como ocorreu na última estiagem em 2014, mas a orientação é que os moradores economizem água. “Que evitem lavar carro, calçada e desperdiçar água sem necessidade”, aconselha.

 

 

ASCOM/Passos Maia

Comentários

Comentários